de três dedo


As minorias reunidas by Allan Oliveira
dezembro 9, 2009, 2:36 am
Filed under: Allan Oliveira | Tags:

Um pequeno vídeo sobre as minorias, inconformadas, como hexa do MENGÃO (e que vem com aquele papinho pra boi dormir, de 1987…).

Anúncios


Uma vez Framengo, sempre Framengo. by Allan Oliveira
dezembro 9, 2009, 2:31 am
Filed under: Allan Oliveira | Tags:

Curiosa a imprensa de São Paulo (entenda-se: caderno de esportes da Folha), tratando o título do MENGÃO como se fosse uma obra do acaso, um despaupério, um golpe de sorte do destino. Falam em entrega do Grêmio, em título inexistente de 87, em má administração do clube carioca, patatipatatá. Mas não adianta fugir, moçada: MENGÃO é Hexa Brasileiro. Ponto. Isto é tão claro quanto as delícias de um pastel de rodoviária ou de um pão com “mortandela” no centro de Sampa, numa daquelas padarias perto da praça da República.

Nego hoje veio pra cima de mim com a velha ladainha de Sport e Copa União e 1987. Hipocrisia, hein? TODOS os clubes que jogaram o módulo verde da Copa União, em 1987, assinaram documentos se recusando a jogar com o vencedor do módulo amarelo. Se o São Paulo fosse campeão também não jogaria com o Sport, assim como o Inter se recusou a jogar contra o Guarani (vice do módulo amarelo). Mas, ok. Desfrutemos o Hexa e deixemos as minorias se torcendo de raiva de um suposto “penta”. Sim, minorias. Porque como diz a rabeira de caminhão: “torcida? Só a do Flamengo. O resto é reunião de condomínio”.

E nego veio pra cima de mim dizendo que Corinthians e Grêmio entregaram suas partidas. Bem, não vi desta forma. Ambos jogaram o que já vinham jogando. Porque iam jogar diferente contra o Flamengo? O Grêmio ainda jogou melhorzinho, endureceu a partida e até simulou um Maracanazo. Mas domingo era nóis. Foi sofrido, o time jogou mal e os gols saíram donde menos se esperava. Mas era nóis. E pra falar a verdade: se Corinthians e Grêmio entregaram suas partidas, não fizeram mais do que a obrigação… José Roberto Wright, nos seus tempos de juiz, sabia bem disto. Expulsou seis do Galo num jogo, pra facilitar as coisas pra nós. José de Assis Aragão, na final de 80, expulsou o Reinaldo porque ele poderia fazer mais um gol em nós. Se isto não for motivo pra expulsão não sei mais o que é. Enfim: nada mais que a obrigação, ajudar o MAIS QUERIDO DO BRASIL.

Hoje li o jornal e não acreditei que havia notícias de rodada da Champions League. Jogo do Real Madrid, com o “cheiroso” (CR9) jogando? Jogo do Milan? Por favor… me poupem. Na semana onde um cearense, cujo sobrenome (Angelim) periga ser confundido com um cereal, faz o gol do título do clube mais popular do mundo, falar em Cristiano Ronaldo e outros refrigerados, e de campeonatos onde a abertura dos jogos tem música clássica e onde todo mundo passa gel no cabelo, chega a ser um absurdo. Os caras deviam parar a semana toda, interromper todos os campeonatos em andamento, e refletir sobre coisas como o valor nutritivo do mocotó e o prazer do meretrício nas cercanias do porto, coisas muito mais relacionadas ao nome Flamengo. Os caras do Real Madrid e do Milan deviam passar a semana estudando quem é Ronaldo Angelim, sem dúvida nenhuma o nome mais importante do futebol no ano de 2009. Messi e o gol na final da Champions? CR9? o Gordo e gol na vila? Iniesta e seu golzinho contra o Chelsea? Na boa, moçada, é comparar a playboy da Magda Cotrofe, 1987, com a da Kelly Key, de 2006. Vejo e revejo o gol do Angelim e sinto dó de Messis e Iniestas da vida. 

Talvez eu esteja hexagerando. Pode ser. Mas o fato, moçada, flamenguistas e minorias, é que assim como romops, pastel de rodoviária, pão com “mortandela”, pinga mineira e frango com quiabo, playboy nos anos 80, andar de Brasília 76, certos prazeres da vida são metafisicamente superiores. Ver o MENGÃO ser campeão brasileiro, no Maracanã, é um deles. A torcida do SPFC, time com o qual simpatizo (prefiro ver os bambis ganhando a bagaça do que o Palmeiras, por exemplo), que me desculpe. Podem ser hepta, octa, o que for (e provavelmente serão, antes de todo mundo), mas não é a mesma coisa. A torcida do SPFC ou do Palmeiras são refrigeradas. Todo mundo tem dente e primeiro grau completo. É tudo que a revista Veja e o PSDB querem do mundo. O título do Flamengo, com um gol de zagueiro cearense, foi a prova cabal de que ainda temos salvação contra o neo-liberalismo e o politicamente correto. Porque, atualmente, nada mais politicamente INCORRETO do que o MENGÃO campeão.  

 A todos, 6 abraços de fim de ano.



MENGUÍSTICAS by Allan Oliveira
dezembro 7, 2009, 3:45 pm
Filed under: Allan Oliveira | Tags:

Pra essa semana, texto digno desses dias. Por enquanto, só umas imagens para lembrar a TODOS de uma coisa:

“Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer”.

 

E a mais importante de todas, sem dúvida. Pra ninguém esquecer que o MENGÃOZIS é FORÉVIS!



Menguísticas by Allan Oliveira
setembro 25, 2009, 7:10 pm
Filed under: Allan Oliveira | Tags: ,

Flamenguistas e sofredores,

eis que esta semana percebo o que é morar em cidade de colonização gaúcha. Aproxima-se o embate, pelo segundo turno do brasileirão, entre o MENGÃO e o Inter, e os chorolados, que são metade menos um da cidade de Toledo (a metade mais um torce praquele outro time estranho lá do RS), já tem me perturbado dias e noites. Pelo jeito esqueceram da traulitada de quatro que tomaram no primeiro turno…

E, na boa, esta torcida chorolada é de amargar. Ganharam meia-dúzia de coisas no século XIX, e ficam se achando. Só dá barrigudo com mais de cinquenta anos (pior que isso só a micro-torcida do Santos, dividida entre velhinhos de 70 anos, gente de 12 anos e o Léo, que só é santista porque disseram prele que ser santista é ser punk…).  Ok… já me disseram hoje: campeão de tudo. Tudo o quê cara-pálida? Libertadores, Mundial? Libertadores pra mim vai até final dos anos 80, quando era disputada por meia-seleção argentina e meia-seleção uruguaia. Na segunda metade dos anos 90, it’s over! Basta ver os finalistas: Olímpia, São Caetano, Fluzinho, LDU!!!!!!!! Ou seja, segundona.

E se a Libertadores virou segundona, essa Sulamericana, o que dizer? Comentário de professor gremista, colega de trabalho: sulamericana é a segundona da Libertadores. Gostei: ou seja, é equivalente à terceira divisão.

Noves foras: o que os chorolados ganharam? Nada. No máximo, Mundial contra o time do Deco. Mas, sejamos francos, europeu no Mundial entra em campo igual eu entrava em aula de história medieval. Só pra cumprir tabela. Assim, nem este mundialzinho entra na contabilidade.

Tudo isto pra dizer que não sei de Inter e timeco que fica aí se gabando de ser “campeão de tudo”. Pode até ser que ganhe no fim de semana. Inclusive, pela campanha que os caras estão fazendo está mais pra eles do que pra nós. Mas que os chorolados têm que comer muito arroz-e-feijão  pra pertubar a paz do MAIS QUERIDO DO BRASIL (cinco títulos brasileiros é bom que se lembre…), isso tem.

………………………………….

Nesta semana, estarei em Buenos Aires, para curtir los hermanitos. Já estou com minha camiseta “El Brasil habla: quedate Maradona! Hasta siempre!”.

Dia 4, domingo, tem Boca y Velez, pelo apertura. Tentarei aparecer, mas como sei que o Boca não vende mais ingresso na bilheteria (tudo antecipado…), talvez seja difícil. Besitos a todos.

De toda forma, já marquei umas quilmes com os membros da FlaMayo, a maior torcida de Buenos Aires… Vai ser lindo a gente cantando “una vez Flamengo, siempre Flamengo, Flamengo yo siempre seré…”